Artigos Comentados

Biomarcação do comportamento dos Cavernomas Cerebrais

Vitamina D

Peripheral plasma vitamin D and NOn-HDL cholesterol reflect the severity of cerebral cavernous malformation disease
Romuald Girard, Robert Shenkar, Meijing Wu, Christopher C Gibson, Kevin J. Whithead Changbin Shi and Issam Awad.

Biomarkers in Medicine doi:10.2217/bmm.15.118, 2016, Epub ahead of print)

Os autores do artigo estudaram, em um projeto prospectivo, caso-controle, 43 pacientes com cavernoma cerebral no qual níveis de 25 (OH) vitamina D, colesterol HDL e não-HDL, CRP e atividade leucocitária ROCK foram correlacionados com agressividade de doença.

A validação desses achados em novos estudos e seu potencial em modulação de doença pode influenciar o tratamento clínico dos pacientes com cavernomas cerebrais.
Esse artigo prospectivo (ou seja, planejado antes de testar os pacientes ao invés de estudar testes já feitos) estudou a associação entre níveis sanguíneos de vitamina D, um conhecido modulador inflamatório, e colesterol HDL e não –HDL, com a agressividade da doença em pacientes portadores de múltiplos cavernomas.

O resultado foi a correlação entre níveis baixos de vitamina D plasmática e maior chance de hemorragias nos cavernomas e maior produtividade de lesões novas cerebrais. Se validado, com novos estudos semelhantes, poderá ser usado como biomarcador e influenciar no tratamento dos pacientes.

Cavernoma