logo

Jovem Pesquisador

Este espaço foi criado com o intuito de atrair, incentivar, promover e agregar jovens pesquisadores de graduação e pós-graduação interessandos no estudo e na difusão de conhecimentos a respeito da Malformação Cavernosa Cerebral.

​Se é do seu interesse participar de pesquisas sobre CCM ou, se você já é um pesquisador e deseja interagir com nossos pesquisadores envie mensagem para o email: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

Dr. Vitor Chehuen Bicalho

E-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

Mestrando de Neurocirurgia do Programa de Pós-Graduação em Ciências Cirúrgicas da UFRJ. Especialização nos Moldes Fellow em Neurocirurgia oncológica pelo Inca/Rj.

Tem como projeto de Mestrado pesquisas com objetivo de avaliar a qualidade de vida dos pacientes portadores de Malformação Cavernosa Cerebral na forma esporádica e familiar não submetidos a cirurgia. Por meio de questionários validados no Brasil, irá mensurar o impacto desta doença no dia a dia dos pacientes.

Linha de Busca Científica:  Análise de Qualidade de Vida em Malformação Cavernosa de Pacientes Não-Submetidos à Cirurgia em uma Coorte de 15 anos de acompanhamento.

As malformações cavernosas cerebrais (CCM) são lesões vasculares, com proliferação anormal dos capilares, formando e preenchendo lacunas, sem tecido cerebral interposto, estando presente em 0,5% da população geral. Possui um amplo espectro clínico, com manifestações como crises convulsivas, cefaleia refratária, déficit neurológico focal e existem dados populacionais que levam à possibilidade de 40% dos portadores serem assintomáticos. A única forma atual de tratamento é a cirurgia para os casos em que houver indicação.

A doença pode apresentar-se em duas formas: como uma lesão isolada ou como múltiplas lesões em exame de ressonância magnética, quando será muito possivelmente familiar. A ressonância magnética é, atualmente, o exame padrão-ouro no diagnóstico, já que a tomografia computadorizada (TC) tem pouca acurácia em delinear a CCM e usualmente são lesões invisíveis à angiografia cerebral.

Avanços em biologia molecular permitiram identificação de 3 genes cujas mutações levam ao produto proteico defeituoso responsável pelo fenótipo cavernoma. Os genes identificados são: KRIT1/CCM1, MGC4607/CCM2, PCDC10/CCM3.

Nosso projeto de pesquisa junto ao Programa de Pós-Graduação em Ciências Cirúrgicas, da UFRJ, pretende analisar uma coorte de pacientes com malformações esporádicas e familiares, com o perfil clínico de evolução reportada por pacientes não-submetidos ao tratamento cirúrgico, através de questionários de qualidade de vida associados à evolução das lesões por neuroimagens.

Dr. João Thiago Frossard da Cruz Ferreira

E-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.      

Residente Neurocirurgia do Serviço de Neurocirurgia  da UFRJ. Coordenador de Biobanco Epidemiológico de Coorte de Malformação Cavernosa Cerebral UFRJ.

Uma fala do Dr. João Thiago sobre seu trabalho na equipe da UFRJ

“Em 2011, comecei meu treinamento em Neurocirurgia na UFRJ, quando, logo após, entrei em contato com a linha de pesquisa em Malformação Cavernosa Cerebral, já desenvolvida na Instituição desde 1999.

A coorte de pacientes com cavernomas, constituída por 15 familias, além dos pacientes com cavernomas esporádicos, acompanhados por mais de uma década no Hospital Universitário, necessitava de uma nova estratégia de estocagem e análise de dados. Participei da elaboração de um banco de dados desses pacientes, abordando características epidemiológicas, manifestaões clínicas, achados de neuroimagem, necessidade de intervenção cirúrgica ou não análise genética, além de possíveis fatores de risco que poderiam  interferir na taxa de sangramento clínico. A forma simplificada que encontramos foi o desenho de uma planilha Excell com um dicionário de todas as variáveis e sua construção de forma a poder ser feita análise através de qualquer software estatístico posteriormente, sendo que usamos o SPSS (Statistical Product and Service Solutions).

Por se tratar de uma doença com compreensão biológica relativamente nova, principalmente, após surgimento da Ressonância Magnética, e de comportamento relativamente imprevisível com variações  entre pacientes e, até , intra-paciente (quando em presença de múltiplas lesões),  e ainda com grandes avanços nos campos de genética e biomolécula, o desafio de participar ativamente dessas buscas e gerar conhecimento clínico foi muito motivador.

Essa busca organizada poderá servir para analisar a doença em nosso meio e, possivelmente, ajudar no tratamento e acompanhamento dos pacientes com cavernomas e na qualidade de vida  dos particiantes de nossa coorte.“

Dr. Flávio Sampaio Domingues

E-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

Staff do Serviço de Neurocirurgia da UFRJ

Formação: Mestrando de Neurocirurgia do programa de Pós-Graduação em Ciências Cirúrgicas da UFRJ

Linha de Busca Científica:  A Influência Hormonal no Comportamento Biológico das Malformações Cavernosas Cerebrais em Pacientes do Sexo Feminino.