logo

O que é um cavernoma?

É uma doença ainda pouco conhecida, vista como rara, talvez pela grande quantidade de pessoas que convive  com a doença sem sequer saber que tem Cavernoma Cerebral, ou seja, pessoas assintomáticas. Esta doença  também é conhecida por outros nomes.

• Malformação cavernosa
• Hemangioma Cavernoso
• CCM – Malformação Cavernosa Cerebral

Cavernoma ou Malformações Cavernosas Cerebrais (CCM) são doenças vasculares cerebrais, sendo a segunda malformação cerebral mais frequente na prática médica atual (estima-se que 0,5% na população geral). Estudos demonstram  que 1 em cada de 200 a 500 pessoas  tenha malformação cavernosa mas apenas 1 em cada 15.000 seja diagnosticada, pois muitos seguem de forma assintomática. Nos EUA pesquisas revelam que uma em cada duas centenas de pessoas (1 – 200)  na população em geral,  tem Cavernoma. Infelizmente no Brasil ainda não temos pesquisas que confirmem o índice de pessoas com  a doença.

Os Cavernomas normalmente são descritos como tendo a aparência de uma framboesa, devido à sua composição de várias estruturas semelhantes a cavernas. Estas cavernas estão cheias de sangue e são revestidas por uma camada de células endoteliais.  No caso de angioma cavernoso, as cavidades tipo bolha são grosseiramente dilatadas devido a defeitos nas células endoteliais e  à perda de outros componentes estruturais que são necessárias para as paredes do vasos. Os pacientes podem apresentar uma única lesão ou múltiplas lesões.

 É uma doença caracterizada pela presença de lesões vasculares que se desenvolvem e crescem dentro do cérebro e/ou da medula espinhal, e raramente, em outras áreas do corpo, como pele e retina.  Estas lesões são compostas de vasos sanguíneos malformados que são frágeis,   que podem vazar sangue e/ou se romperem. São lesões bem localizadas, multilobuladas e com aparência típica em exame de ressonância magnética.

Há muitos casos nos quais a doença é descoberta acidentalmente,  o paciente que  investiga outra doença e recebe o diagnóstico de Cavernoma ao realizar o exame de Ressonância Magnética ou Tomografia Computadorizada.